Fundação de João Pessoa

Ivan Carneiro/Abril Imagens

Amanhecer no Parque Solon de Lucena, em João Pessoa.

Um tratado de paz entre os índios da região e os colonos portugueses é o símbolo da fundação de João Pessoa, capital do estado da Paraíba.

Nossa Senhora das Neves foi o primeiro nome dessa cidade fundada em 5 de agosto de 1585. Ela seria rebatizada algumas vezes, como em 29 de outubro do mesmo ano, quando passou a se chamar Felipéia de Nossa Senhora das Neves, em atenção a dom Felipe II, rei da Espanha. Nessa ocasião, Portugal passou ao domínio espanhol.

Em 26 de dezembro de 1634, Felipéia dava lugar a Frederikstadt, ou Frederica, época da conquista deste lugar pelos holandeses, em homenagem a Sua Alteza, o príncipe Orange, Frederico Henrique.

Mais tarde, em 1º de fevereiro de 1654, por força do retorno da capital ao domínio português, sua nova denominação passou a ser Parahyba, recebendo o mesmo nome da Capitania, tornando-se depois Província e, por último, Estado.

Finalmente, em 4 de setembro de 1930, a capital da Paraíba passa a se chamar João Pessoa, em homenagem ao presidente do Estado assassinado em Recife, época em que o político paraibano fora candidato a vice-presidente da República na chapa liderada por Getúlio Vargas.

A atual população de João Pessoa é estimada em 600 mil pessoas. A 47 metros acima do nível do mar, suas principais atividades econômicas são o comércio, a indústria e o turismo.

Um dos prazeres do cidadão pessoense é afirmar que "aqui o Sol nasce primeiro", já que a Ponta do Seixas, um dos quatro pontos extremos do Brasil, encontra-se exatamente em João Pessoa. Prazer também não falta ao habitante da capital paraibana quando o assunto é culinária: peixes, camarões, lagostas, carne-de-sol, tapioca, pé-de-moleque e canjica são pratos típicos e alimentos facilmente encontrados na cidade, além do famoso ensopado de caranguejo.


Fontes consultadas:

www.paraibapb.com.br/detalhe.htm

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Editora Ática Ltda.
©2002-2006 - Editora Ática Ltda. Todos os direitos reservados.